Google+ Followers

quarta-feira, 27 de junho de 2012

NÃO VOS PRENDAIS A UM JUGO DESIGUAL!



Nesta passagem, (Deuteronômio 22.10) Paulo aplica o princípio desta lei a um crente e a um incrédulo. Um cristão verdadeiro empreende uma enorme mudança! Deus transforma os seus valores, crenças e perspectivas e, então, você tem uma mudança radical na vida, opostamente ao do incrédulo à sua volta. Não existe a menor possibilidade de reconciliação entre os dois!

Paulo, então, questiona: Que comunhão tem a luz com as trevas? Como podem aqueles que estão sujeitos a Deus misturar-se com aqueles que são partes do sistema que está em rebelião contra ELE? Como pode o reino da luz coexistir com o reino profano, impuro, enganador das trevas? São dois reinos radicalmente diferentes e eternamente separados!

Não existe área neutra entre o céu e o inferno!!!

Todavia, Paulo não queria instruir que os crentes de Coríntios devessem viver em reclusão para aguardar o retorno de Jesus. Os seguidores de Cristo ainda devem "ganhar a vida" (ler 1 Coríntios 5.9-11).  Fica aqui uma distinção clara entre viver no mundo e manter o mundo fora da Igreja. Ele coloca sua mira no mundanismo entre os crentes e levanta várias questões:
- Uma filha da luz deve casar-se com um filho das trevas?
- Um homem governado pelos preceitos do céu deve entrar em jugo em uma parceria de negócios com alguém que é comprometido com o sistema deste mundo?

É óbvio que a resposta a estas questões é "não"!...Como Paulo admoestou aos coríntios: Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes (1 Co 15.33).
Resumindo, aquele que realmente foi salvo reconhece o efeito que a má companhia exerce e evita veemente os relacionamentos prejudiciais. Tem uma vida voltada para o reino do céu e não está moralmente dominado pelos deslumbres que este mundo oferece junto com seus encantadores.




Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores;  antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite.

Pois será como a árvore plantada junto às correntes de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cuja folha não cai; e tudo quanto fizer prosperará.

Não são assim os ímpios, mas são semelhantes à moinha que o vento espalha.

Pelo que os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos;  porque o Senhor conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios conduz à ruína (Salmos 1.1,6).




Vamos refletir acerca...



Sérg10 Gomes




Um comentário:

  1. Infelizmente, vemos hoje, na igreja cristã, de uma maneira geral, que não há mais uma identidade forte, uma determinação em ser diferente do mundo. Pelo contrário, os crentes de hoje se misturam com aqueles que não são de Deus de uma maneira natural, chegando a haver um tipo de mescla, na qual não sabemos quem é quem. Antigamente, os cristãos eram reconhecidos por seus atos e palavras. E hoje? Nem atos, nem palavras. Precisamos RETORNAR às essências, à vida de oração, à renúncia! O mundo tende a cair no abismo e nós, cristãos, se não reagirmos, iremos juntos também!

    ResponderExcluir

Comente aqui